Biblioteca Digital de Eventos Científicos da UFPR, III ENCONTRO DAS LICENCIATURAS REGIÃO SUL

Tamanho da fonte: 
A SÉTIMA ARTE ENQUANTO RECURSO PEDAGÓGICO PARA DISCUTIR AS DIVERSIDADES.
Guilherme Aparecido Carvalho, Geovanna Marques Moreira Bertim, Maristela Rosso Walker

##manager.scheduler.building##: Setor de Sociais Aplicadas
##manager.scheduler.room##: 03
Data: 13-11-2019 02:30  – 02:45
Última alteração: 31-10-2019

Resumo


A cinematografia, como expressão de arte, não surgiu somente com este propósito, mas se tornou fundamental como recurso tecnológico para a produção do conhecimento científico. Autores relacionados aos Estudos Culturais salientam a importância dos efeitos que as diversas produções da cultura operam sobre a identidade dos indivíduos na contemporaneidade, nela incluindo as diversas mídias. O cinema enquanto recurso midiático, incorporou elementos e dimensões dos processos educacionais que o qualificaram a integrar às proporções pedagógicas, temáticas relacionadas as pluralidades, sendo essenciais para um processo de inclusão social não homogêneo. Objetivou-se neste projeto, propiciar e subsidiar o acesso a reflexões, discussões, debates, de um conjunto de filmes de diferentes categorias e gêneros, sobre temas relacionados às diversidades entre alunos, servidores da UTFPR Santa Helena e a comunidade em geral. Buscamos responder as seguintes indagações: Como compreender os elementos comuns e as singularidades entre as culturas? Seria o cinema uma estratégia eficaz para aprofundar as discussões sobre as temáticas das diversidades? Nosso modelo teórico pauta-se a partir da metodologia de análise de conteúdo, que é utilizada para descrever e interpretar o conteúdo de documentos, textos, e no caso, filmes. Essa análise foi proposta por Bardin, e conduz descrições sistemáticas, quantitativas ou qualitativas, contribuindo para reinterpretação de mensagens e conceitos relacionados aos filmes apresentados, a fim de atingir uma compreensão que vá além de uma leitura comum. Como resultado, houve aproximação das comunidades interna e externa a partir de discussões sobre as temáticas consideradas tabu na sociedade, além do aprimoramento em relação a percepção da linguagem fílmica. A partir da exibição de cada obra, os telespectadores puderam refletir sobre as temáticas apresentadas, e com os debates promovidos, questionar suas crenças, valores, a respeito das diversidades  presentes em nosso cotidiano.


Palavras-chave


Cinema; Formação de Professores; Diversidade e Estudos Culturais; Educação e Inclusão.

Referências


A CABANA. Direção de Stuart Hazeldine. Estados Unidos: Paris Filmes, 2017. (132 min.).

BARBERO, Jesús Martín. “Jóvenes: comunicación e identidad”. Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura: pensar Iberoamérica. Revista de cultura (revista digital). N.0, Febrero, 2002.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 1977.

CATELLI JÚNIOR, Roberto. Cinema e História na Sala de Aula. In: Temas e Linguagens da História: ferramentas para a sala de aula no Ensino Médio. Ed, Scipione, São Paulo, 2009, p. 51-72.

DUARTE, Rosália; ALEGRIA, João. Formação estética visual: um outro olhar para o cinema a partir da educação. Educação e Realidade, 2008.

ELENA. Direção de Petra Costa. Brasil: Busca Vida Filmes, 2012. (82 min.).

EXTRAORDINÁRIO. Produzido por Stephen Chbosky. Estados Unidos: Paris Filmes, 2017. (113 min.).

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, nº 2, p. 15-46, jul./dez. 1997.

JAKOBSON, Roman. Os aspectos linguísticos da tradução. 20.ed. In: Linguística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 1995.

TREVIZAN, Z; CREPALDI, L. Linguagem visual e educação: a arte de ensinar. In:GEBRAN, R. A. (org.) Ação docente no cotidiano da sala de aula: práticas e alternativas pedagógicas. São Paulo: Arte & Ciência, 2009. Cap. 8, p. 167 – 86.

NAPOLITANO, M. Como usar o cinema na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2009.

UMA CHANCE PARA VIVER.  Dirigido por Dan Ireland. Estados Unidos: Sony Pictures, 2008. (90 min.).


Um cadastro no sistema é obrigatório para visualizar os documentos. Clique aqui para criar um cadastro.