Biblioteca Digital de Eventos Científicos da UFPR, II Congresso de Saúde Coletiva da UFPR

Tamanho da fonte: 
A (DES)INFLUÊNCIA DAS POPULAÇÕES VULNERÁVEIS NA SAÚDE PÚBLICA.
GABRIELA BROCCO, GIOVANA POMIN BARROS SACHETIM, EDUARDO CARLOS BOCCA, JOSÉ PAULO VIUDES SILVA, SANDRA LUCIA VIEIRA ULINSKI

Última alteração: 02-10-2020

Resumo


Introdução: A vulnerabilidade é impactada pelo acesso à informação, identificação da suscetibilidade pelo próprio indivíduo e acesso à estratégias de prevenção. Fatores comportamentais, entre eles o desejo e a capacidade, são considerados aspectos relevantes que podem modificar comportamentos que interferem na suscetibilidade, as questões sociais que se destacam são o e acesso à recursos, e a capacidade de adotar comportamentos de proteção. Percebe-se que um dos problemas da vulnerabilidade é que indivíduos vulneráveis estão sob maior risco de sofrerem danos, devido à incapacidade de proteger seus interesses e direitos. Objetivos: Discutir a (des)influência das populações vulneráveis entre estudantes de Medicina de uma universidade privada. Materiais e métodos: Na disciplina de saúde coletiva, foi proposta a realização de seminários sobre determinadas populações vulneráveis, entre elas: indígenas, LGBTQ+, população negra, profissionais do sexo, pessoas em situação de rua, Negros, crianças e população carcerária. Os estudantes realizaram uma revisão de literatura por meio de artigos científicos e também buscaram entrevistas, livros, dados de domínio público, notícias e outras fontes de informação. Resultados: Foram identificados sentimentos, crenças e questões culturais a serem consideradas no cuidado a essas populações. No entanto, o preconceito e a discriminação, sofridos por tais populações, foi a questão que mais impactou, pois estava presente não só na sociedade mas na atenção à saúde também, gerando falta de acesso e humanização aos cuidados em saúde. Considerações finais: Esta atividade possibilitou aos acadêmicos de medicina despertarem para a importância de se reconhecer as crenças, sentimentos e características culturais que não podem ser ignoradas ao fazer o cuidado em saúde, de forma integral, destas populações.

Palavras-chave


Vulnerabilidade; saúde coletiva; políticas públicas;